CARDEAL GIUSEPPE SIRI: A RELAÇÃO ENTRE O NATURAL E O SOBRENATURAL EM JACQUES MARITAIN


Teologia

Um filó­so­fo que no mes­mo perío­do, isto é, des­de os anos 30, influ­en­ciou muito a for­mação das tendên­cias con­tem­porâneas, seja filosó­fi­ca ou teo­logi­ca­mente, foi Jacques Mar­i­tain [1]. Em todo o seu pen­sa­men­to, não só bus­cou assim­i­lar a ordem nat­ur­al na sobre­nat­ur­al, mas ao con­trário, lhes sep­a­rou de tal modo que recon­hece na cri­ação e na história humana duas vocações dis­tin­tas, lig­adas cer­ta­mente por um princí­pio de sub­or­di­nação, mas essen­cial­mente autôno­mas, com fins e meios próprios: a vocação e a mis­são ter­restre, e a vocação sobre­nat­ur­al.

26/08/2019

LA CIVILTÀ CATTOLICA: O MODERNISMO CRÍTICOCOMENTÁRIO A PASCENDI DOMINICI GREGIS


Teologia

A críti­ca está na boca de todos: é o méri­to da idade mod­er­na. E se fos­se méri­to sin­cero, have­ria razão para apre­cia-la: a críti­ca ver­dadeira é o exame glo­rioso da ver­dade, seja cien­tí­fi­ca ou reli­giosa. Mas muitas vezes é méri­to fal­so: e a críti­ca fal­sa, ou mel­hor, o vão nome de críti­ca, é então pálio de todos os erros, escu­do e sal­vo-con­du­to de todas as insip­iên­cias das mentes trans­vi­adas.

26/08/2019

S. FRANCISCO DE SALES: O VERDADEIRO FUNDAMENTO


Teologia

A posição supre­ma que teve São Pedro na Igre­ja mil­i­tante, em razão da qual é chama­do fun­da­men­to da Igre­ja, como chefe e gov­er­nador, não vai além da autori­dade do seu Mestre, antes, lhe é ape­nas uma par­tic­i­pação

07/05/2019

P. CORNÉLIO FABRO: ESTAMOS DIANTE DO SURTO DE UMAPORNOTEOLOGIAQUE SE EMBEBEDERÁ DO MUNDO


Teologia

…A difi­cul­dade e a pro­va da fé é aque­la de ser novos no anti­go e orig­i­nais no per­ma­nente, porque per­tence aos home­ns serem pro­du­tivos com a liber­dade no âmbito da ver­dade a qual­quer nív­el, mes­mo naque­le da fé e da sal­vação.

05/05/2019

MATRIMÔNIO, AMOR E CARIDADE: CONSELHOS AOS NAMORADOS


Espiritualidade, Política, Psicologia, Sociologia, Teologia

Padre Curzio Nitoglia Tradução: Ged­er­son Fal­cometa ·         Depois de ter vis­to o que é a ver­dadeira Cari­dade sobre­nat­ur­al e tê-la dis­tin­ta antes de tudo do amor nat­ur­al (que é bom mas imper­feito) e sobre­tu­do do ero­tismo freudi­ano, que hoje inva­diu todas as coisas, que é puro egoís­mo, amor próprio, e é a morte do ver­dadeiro […]

13/11/2018

PADRE CURZIO NITOGLIA: A IGREJA CATÓLICA NA DOUTRINA DE SANTO AGOSTINHO


Apologética, Atualidades, Teologia

Padre Curzio Nitoglia [Tradução:Gederson Fal­cometa] Pról­o­go Mon­sen­hor Brunero Gher­ar­di­ni pub­li­cou o seu mais recente tra­bal­ho: Católi­ca. Con­tornos da ecle­si­olo­gia agos­tini­ana (Tori­no, Lin­dau, 2011) [1]. Onde reas­sume a sua ativi­dade seja de pro­fes­sor de ecle­si­olo­gia na Lat­er­a­nense em 1968, seja de Autor de estu­dos recentes [2] sobre o prob­le­ma espin­hoso da relação entre Tradição e Con­cílio […]

19/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: VACANTE SIM, IGREJA VACANTE, NÃO


Atualidades, Teologia

Os canon­istas e os teól­o­gos definem, e então dis­tinguem, o perío­do de Vacân­cia da Sé Apos­tóli­ca, que vai da morte de um Papa a eleição do próx­i­mo, da fal­ta de Autori­dade ou de Hier­ar­quia na Igre­ja (“Sede­va­can­tismo” mit­i­ga­do ou abso­lu­to).

Durante o Con­clave os Cardeais não emanam novas Leis, mas não devem faz­er diminuir os dire­itos da Sé Apos­tóli­ca, vigian­do para man­ter em vida aque­les exis­tentes (cfr. São Pio X, Vacante Sede Apos­toli­ca, 25 de dezem­bro de 1904; Pio XI, Quae divini­tus, 26 mar­zo 1925; Pio XII, Vacan­tis Apos­toli­cae Sedis, 8 de dezem­bro de 1945).

16/08/2018

ORESTE SARTORE: SOBRE ALGUMAS TESES DA NOUVELLE THÈOLOGIE, POSSÍVEIS VETORES DE UMA RELIGIOSIDADE ALTERNATIVAPARTE 1


Teologia

A segun­da onda do mod­ernismo, ape­sar de ter apare­ci­do cober­ta por uma instân­cia com­par­til­háv­el, que é a redescober­ta das fontes escrit­u­rais e patrís­ti­cas, não con­seguiu evi­tar as cen­suras da Igre­ja Católi­ca dirigi­da por Pio XII.

09/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: CARIDADE E JUSTIÇA SOCIAL COMO FUNDAMENTO DA POLÍTICA


Política, Sociologia, Teologia

Para o ‘bom gov­er­no’, que é a ver­dadeira vir­tude de ‘prudên­cia social’ ou seja, a políti­ca no sen­ti­do clás­si­co do ter­mo, é pre­ciso sobre­tu­do duas vir­tudes além da prudên­cia: a justiça e o amor nat­ur­al e sobre­nat­ur­al, que são sub­stan­cial­mente diver­sas da egal­itè et fra­ter­nitè da mod­ernidade. Aqui o estu­dare­mos pela óti­ca social e não estri­ta­mente indi­vid­ual, porque nos ocu­pamos da filosofia políti­ca ou social, que estu­da a vida em comum ou em sociedade dos indi­ví­du­os home­ns, os quais se unem antes em uma família e depois em mais famílias, as quais for­mam uma sociedade ou polis (=cidade) e mais cidades for­man­do enfim um Esta­do.

17/12/2017

P. CARTECHINI, S.J.: CRITÉRIOS PARA RECONHECER AS VERDADES DOGMÁTICAS


Teologia

Antes de expor este critério, que é a via mais comum para deter­mi­nar a ver­dade de fé católi­ca, é pre­ciso faz­er algu­mas obser­vações impor­tantes.

Para que as decisões de um Con­cílio ten­ham val­or dog­máti­co, o Con­cílio deve ser ecumêni­co e legí­ti­mo, ape­nas em tal caso ele goza do caris­ma da infal­i­bil­i­dade. De fato, Jesus Cristo prom­e­teu a infal­i­bil­i­dade a Igre­ja uni­ver­sal e não as sin­gu­lares igre­jas par­tic­u­lares. Os Con­cílios par­tic­u­lares não são infalíveis: porém as suas decisões podem adquirir um val­or uni­ver­sal e defin­i­ti­vo, se em segui­da inter­vém a aprovação do romano pon­tí­fice. Assim, ocor­reu com o Con­cílio Con­tan­ti­nop­o­li­tano Iº  (em 381: D. 85), para o Cartag­inês con­tra os pela­gianos (em 418: D. 101 ss.), o Arau­si­cano con­tra os semi­pela­gianos (em Orange 529: D. 174 ss.). A autori­dade, por­tan­to, destes Con­cílios, se bem que em origem par­tic­u­lares, de fato é como aque­la dos Con­cílios ecumêni­cos.

03/12/2017

O VENERÁVEL BARTOLOMEU HOLZHAUSER (1613–1658) OU A RESTAURAÇÃO DA REALEZA SOCIAL DE N.S. JESUS CRISTO


Teologia

O tex­to deste arti­go é a apre­sen­tação de Nico­la Dino Cava­di­ni a sua tradução para o ital­iano da obra de Bar­tolomeu Holzhauser “Inter­pre­ta­tio in Apoc­a­lypsin”. A obra foi pub­li­ca­da pela primeira vez em Bam­ber­ga em 1784 e foi con­sid­er­a­da por alguns o mel­hor pro­du­to daque­la cor­rente exegéti­ca que vê no Apoc­alipse de S. João a nar­ração sim­bóli­ca da história da Igre­ja”. Holzhauser, sin­gu­lar­mente dota­do do dom da pro­fe­cia, deu mão ao comen­tário depois de 1649 enquan­to se encon­tra­va no Tirol, “em con­tin­ua oração por dias inteiros, pri­va­do de comi­da e bebi­da” e “sep­a­ra­do de todo con­sór­cio humano”.

26/11/2017

SANTO TOMÁS DE AQUINO: DE MALO


Teologia

O mal não é algu­ma coisa. Primeiro: porque todo agente age em vista de um fim e de um bem, como existe uma ordem nos agentes, existe tam­bém uma ordem nos fins e nos bens. E como exis­tem agentes supe­ri­ores e infe­ri­ores, exis­tem tam­bém fins e bens supe­ri­ores e infe­ri­ores.

12/04/2016

P. MATTEO LIBERATORE, S.J: CONDIÇÃO DA IGREJA OPOSTA AO ESTADO


Teologia

      A Igre­ja e o Esta­do (2ª ed.) Napoles 1872, cap. I, pag. 7–21. Rev. Pe. Mat­teo Lib­er­a­tore S.J. Tradução:  Ged­er­son Fal­cometa Revisão: Rena­to S. de Mel­lo CONDIÇÃO DA IGREJA OPOSTA AO ESTADO CAPÍTULO I. ARTIGO I. Con­ceito lib­er­al I Trí­plice for­ma de tal con­ceito A palavra de ordem, como se cos­tu­ma diz­er, do […]

10/04/2016

P. MATTEO LIBERATORE: O MODERNISMO [1] A RESPEITO DA IGREJA


Teologia

Logo que a Igre­ja de Cristo apare­ceu no mun­do, o anti­go Pagan­is­mo a com­bate até o fim, bus­can­do sufo­ca-la no sangue. O novo Pagan­is­mo, que se chama Mod­ernismo, e mais comu­mente Lib­er­al­is­mo ou Rev­olução, tam­bém ele com­bate a Igre­ja; porque, como instru­men­to de Satanás, é infor­ma­do pelo mes­mo espíri­to, o ódio a Cristo, e é movi­do pelo mes­mo fim, aque­le de impedir nos povos o bene­fí­cio da redenção.

07/04/2016

P. CURZIO NITOGLIA: SE É LICITO IR A MISSA DOS SACERDOTES SEDEVACANTISTAS


Liturgia, Teologia

SE É LICITO IR A MISSA DOS SACERDOTES SEDEVACANTISTAS Padre Curzio Nitoglia [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] Depois do arti­go sobre o “Neo-Donatismo”, alguns leitores me colo­caram a questão, se é lic­i­to ir a Mis­sa cel­e­bra­da pelos sac­er­dotes sede­va­can­tis­tas. Parece-me (não me reputo infalív­el e não ten­ho nen­hu­ma juris­dição para obri­gar quem quer que seja, exp­ri­mo ape­nas […]

07/04/2016

P. CURZIO NITOGLIA: INTRODUÇÃO A VERDADEIRA NOÇÃO DE MAGISTÉRIO


Teologia

Recen­te­mente apare­ce­r­am arti­gos e livros, que, para defend­er a Tradição e a Igre­ja, ou exager­aram o alcance do Mag­istério, fazen­do dele um “Abso­lu­to” ou o min­i­mizaram e quase o aniquila­ram, negan­do lhe a função de “inter­pre­tar a Tradição e a S. Escrit­u­ra”. Onde para evi­tar o erro por exces­so (que abso­l­u­ti­za o Mag­istério) e por defeito (que min­i­miza a sua real­i­dade) sobre este argu­men­to, resumo aqui­lo que escreveu no pas­sa­do [1] e recen­te­mente mons. Brunero Gher­ar­di­ni (cfr. Dis­pu­ta­tiones The­o­log­i­cae) e aqui­lo que se encon­tra nos mel­hores man­u­ais de ecle­si­olo­gia, que serão cita­dos nas notas.

31/03/2016

P. SISTO CARTECHINI: DA OPINIÃO AO DOGMAPREFÁCIO E QUADRO DE NOTAS TEOLÓGICAS


Teologia

Se em toda ciên­cia, mais que a quan­ti­dade e a qual­i­dade das noções esparsas, é útil bem con­hecer o grau de certeza dos seus pres­su­pos­tos e dos seus princí­pios, e a ordem das suas deduções, isto vale espe­cial­mente no cam­po da fé e na ciên­cia teológ­i­ca. Daqui a neces­si­dade do estu­do orde­na­do dos dados rev­e­la­dos, o qual, se em qual­quer medi­da é requeri­do a todos os crentes para ofer­e­cer a Deus um ato de cul­to racional (Rm 12, 1), e tam­bém aos crentes para se explicar aos não crentes a racional­i­dade do quan­to creem, maior razão se adi­ciona a quan­tos bus­cam o pleno pos­ses­so dos dados rev­e­la­dos para se ren­der con­ta que a nos­sa fé exclui toda dúvi­da, e é lumi­nosa e cer­ta não menos que os axiomas e as cat­e­go­rias matemáti­cas.

15/03/2016

LA CIVILTÀ CATTOLICA: COMENTÁRIO A CARTA ENCÍCLICA PASCENDI DOMINICI GREGIS DE SUA SANTIDADE PAPA PIO X — TEXTO II


História, Política, Teologia

O MODERNISMO REFORMISTA La Civiltà Cat­toli­ca* Roma 1908 Comen­tário a Car­ta Encícli­ca  Pas­cen­di Domini­ci Greg­is Tradução: Ged­er­son Fal­cometa O heréti­co – que é anárquico na ordem reli­giosa e moral – insurge vol­un­tari­a­mente, como anárquico politi­co e social, em nome de qual­quer ideia, ou mel­hor, de qual­quer palavra sub­lime, par­tic­u­lar­mente ao som grandioso de ren­o­vação, de pro­gres­so e […]

12/03/2016

P. LE FLOCH: O CARDEAL BILLOT SOBRE O LIBERALISMO


Teologia

 Padre Hen­ri Le Floch Tradução: Ged­er­son Fal­cometa Resumo da dout­ri­na do cardeal Bil­lot sobre o erro do lib­er­al­is­mo e as suas diver­sas for­mas, segun­do a exposição do trata­do sobre a Igre­ja. O lib­er­al­is­mo em matéria de fé e de religião é uma dout­ri­na que pre­tende eman­ci­par o homem, mais ou menos, de Deus, da sua […]

11/03/2016

P. CURZIO NITOGLIA: PERIGOS PARA A VIDA SACERDOTAL EM NOSSO TEMPO


Espiritualidade, Teologia

  Padre Curzio Nitoglia [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa]   ● Em 1945 Padre REGINALDO GARRIGOU-LAGRANGE escreveu um livre­to, traduzi­do para o ital­iano em 1949, e inti­t­u­la­do San­tifi­cação sac­er­do­tal no nos­so tem­po (Tori­no, Mari­et­ti). Nesse o céle­bre teól­o­go afronta­va os erros neo­mod­ernistas, que já minavam a espir­i­tu­al­i­dade católi­ca e aler­ta­va sobre ess­es espe­cial­mente os jovens sac­er­dotes. Pas­saram-se […]

09/03/2016