JEAN MADIRAN: A DIREITA É UMA INVENÇÃO DA ESQUERDA


Política

A dis­tinção entre dire­i­ta e esquer­da é uma ini­cia­ti­va da esquer­da, fei­ta pela esquer­da em seu proveito próprio, para arru­inar o poder ou para nele se esta­b­ele­cer.

Existe uma dire­i­ta, por out­ro lado atôni­ta de sê-la e mal consen­ciente, na medi­da em que a esquer­da a for­ma, a des­igna e se lhe opõe. As coisas começam, ou recomeçam, pro­pri­a­mente assim, nun­ca em sen­ti­do inver­so. Aque­les que instau­ram ou relançam o jogo “dire­i­ta-esquer­da” fazem ess­es mes­mos parte da esquer­da e delimi­tam uma dire­i­ta, para exclui-la e com­batê-la. Em um segun­do tem­po, a dire­i­ta assim des­ig­na­da e indi­vid­u­a­da, ser­ra as filas, de ordinário nem tem­pes­ti­va e nem efi­caz­mente, se orga­ni­za, se defende, con­tra-ata­ca, algu­mas vezes com suces­so: não é jamais a out­ra que defende e con­tra-ata­ca e faz represália.

Esta for­ma de luta políti­ca era descon­heci­da antes de 1789.

31/10/2017

AUGUSTO DEL NOCE: O MARXISMO DE GRAMSCI E A RELIGIÃO


Atualidades, Política

Qual lugar asse­gu­rar a Gram­sci entre os teóri­cos oci­den­tais do comu­nis­mo? Um fato é incon­testáv­el: entre os teóri­cos oci­den­tais do comu­nis­mo, só Gram­sci definiu uma lin­ha políti­ca capaz de ter efeito nos país­es oci­den­tais. Uma vez que para o marx­is­mo o filó­so­fo, o his­to­ri­ador e o políti­co são indis­tin­guíveis, porque o critério de ver­dade é colo­ca­do para o marx­is­mo na ver­i­fi­cação históri­ca, parece legí­ti­mo con­cluir dis­to que se deve ver na posição gram­s­ciana tam­bém o desen­volvi­men­to mais rig­oroso que o marx­is­mo alcançou.

22/10/2017