P. CURZIO NITOGLIA: A “TESE DE CASSICIACUM” É AINDA ABSOLUTAMENTE CERTA?


Apologética, Atualidades, Teologia

“O alcance obje­ti­vo da per­gun­ta: “O ocu­pante da Sé Apos­tóli­ca é, sim ou não, Papa mate­rial­mente?”, é de tal for­ma fora do nos­so alcance que conc­re­ta­mente e real­mente, a respos­ta a está per­gun­ta não tem quase impacto sobre o com­por­ta­men­to efe­ti­va­mente pos­sív­el dos fiéis lig­a­dos a Tradição” (Guérard des Lau­ri­ers, Sodal­i­tium, nº 13, em, “O prob­le­ma da autori­dade”, Ver­rua Savóia, CLS, 2005, pg 37).

02/03/2016

Conclusão: O “sedevacantismo mitigado” acessível a todos


Teologia

  PADRE CURZIO NITOGLIA [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] 26 feb­braio 2009 http://www.doncurzionitoglia.com/SedevacantismoMitigato.htm 1) Sede­va­can­tismo mit­i­ga­do 1º) Segun­do P. Guérard des Lau­ri­ers,  uma vez que o novo rito da con­sagração epis­co­pal é duvi­doso,  se fos­se eleito Papa um sujeito con­sagra­do com o novo rito, não seria val­i­da­mente Bis­po e então não pode­ria ser nem sequer Papa (ou […]

14/06/2015

P. CURZIO NITOGLIA: UMA HIPÓTESE DE VELLETRI


Teologia

Em questões teológ­i­cas difí­ceis e não definidas, deve se dar o próprio pare­cer com humil­dade e paz, con­for­man­do-se a instrução e a capaci­dade do ouvinte, insistin­do mais na práti­ca da Igre­ja, exor­tan­do a seguir o bom cos­tume; ao invés de deixar-se envolver na con­tro­vér­sia para a qual não existe con­clusão cer­ta e que são em segui­da perigosas para quem as expli­ca [abu­so de poder, orgul­ho espir­i­tu­al e int­elec­tu­al] e para quem escu­ta [se não existe capaci­dade e preparação para com­preen­der e colo­car em práti­ca cor­re­ta­mente]. (S. Iná­cio de Loy­ola, Obras Com­ple­tas, Madrid, Barc., 1992, pg 289–290)”.

14/06/2015

Analogia: resposta a “Sodalitium” nº 62


Teologia

PADRE CURZIO NITOGLIA [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] Vel­letri, 8 set­tem­bre 2008 http://www.doncurzionitoglia.com/ANALOGIA.htm Intro­dução ■ O fato: Um ser­mão e uma con­fer­ên­cia Depois de ter pedi­do (6 de jul­ho de 2008), pub­li­ca­mente e por escrito, uma respos­ta a redação da “Sodal­i­tium”, ref­er­ente ao n.º 62 de jun­ho de 2008, esperei em vão mais de dois meses, mas não […]

14/06/2015