P. CURZIO NITOGLIA: VACANTE SIM, IGREJA VACANTE, NÃO


Atualidades, Teologia

Os canon­istas e os teól­o­gos definem, e então dis­tinguem, o perío­do de Vacân­cia da Sé Apos­tóli­ca, que vai da morte de um Papa a eleição do próx­i­mo, da fal­ta de Autori­dade ou de Hier­ar­quia na Igre­ja (“Sede­va­can­tismo” mit­i­ga­do ou abso­lu­to).

Durante o Con­clave os Cardeais não emanam novas Leis, mas não devem faz­er diminuir os dire­itos da Sé Apos­tóli­ca, vigian­do para man­ter em vida aque­les exis­tentes (cfr. São Pio X, Vacante Sede Apos­toli­ca, 25 de dezem­bro de 1904; Pio XI, Quae divini­tus, 26 mar­zo 1925; Pio XII, Vacan­tis Apos­toli­cae Sedis, 8 de dezem­bro de 1945).

16/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: SE É LICITO IR A MISSA DOS SACERDOTES SEDEVACANTISTAS


Liturgia, Teologia

SE É LICITO IR A MISSA DOS SACERDOTES SEDEVACANTISTAS Padre Curzio Nitoglia [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] Depois do arti­go sobre o “Neo-Donatismo”, alguns leitores me colo­caram a questão, se é lic­i­to ir a Mis­sa cel­e­bra­da pelos sac­er­dotes sede­va­can­tis­tas. Parece-me (não me reputo infalív­el e não ten­ho nen­hu­ma juris­dição para obri­gar quem quer que seja, exp­ri­mo ape­nas […]

07/04/2016

P. CURZIO NITOGLIA: A “TESE DE CASSICIACUM” É AINDA ABSOLUTAMENTE CERTA?


Apologética, Atualidades, Teologia

“O alcance obje­ti­vo da per­gun­ta: “O ocu­pante da Sé Apos­tóli­ca é, sim ou não, Papa mate­rial­mente?”, é de tal for­ma fora do nos­so alcance que conc­re­ta­mente e real­mente, a respos­ta a está per­gun­ta não tem quase impacto sobre o com­por­ta­men­to efe­ti­va­mente pos­sív­el dos fiéis lig­a­dos a Tradição” (Guérard des Lau­ri­ers, Sodal­i­tium, nº 13, em, “O prob­le­ma da autori­dade”, Ver­rua Savóia, CLS, 2005, pg 37).

02/03/2016

Ulteriores especificações contra o «sedevacantimo»


Teologia

Ulte­ri­ores especi­fi­cações con­tra o «sede­va­can­ti­mo» Alessan­dro San­marchi [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa]   Em con­tinuidade com o arti­go A autori­dade papal de Padre Nitoglia* me parece opor­tuno desen­volver ulte­ri­ores obser­vações entorno as teses pro­postas pelo sede­va­can­tismo. 1)      Padre Nitoglia sus­ten­tou a tese de Cas­si­ci­acum, até essa ter pos­si­bil­i­dade de ser ver­dadeira. Ago­ra esta pos­si­bil­i­dade se exau­riu (pelos motivos que […]

24/02/2016

ALESSANDRO SANMARCHI: O SEDEVACANTISMO E A BULA DE PAULO IVCUM EX APOSTOLATUS OFFICIO


Teologia

Dado o inter­esse sus­ci­ta­do nos leitores pela dis­cussão em torno a pos­si­bil­i­dade de a sé apos­tóli­ca estar atual­mente “vacante”[1], me parece opor­tuno afrontar o argu­men­to em modo sis­temáti­co (talvez através de uma série de arti­gos ad hoc).

24/02/2016

P. CURZIO NITOGLIA: A TESE DE CASSICIACUM: O PAPADO MATERIAL PARA UM DEBATE SERENO


Filosofia, Teologia

    A tese de Cas­si­ci­acum  O Papa­do mate­r­i­al Para um debate sereno    Don Curzio Nitoglia [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa]   «Nes­ta pas­sagem do Evan­gel­ho de Mar­cos (VI, 47–56) está escrito jus­ta­mente que a Nave (ou seja, a Igre­ja) se encon­tra­va no meio do mar, enquan­to Jesus esta­va soz­in­ho em ter­ra firme: porque a Igre­ja […]

18/06/2015

Conclusão: O “sedevacantismo mitigado” acessível a todos


Teologia

  PADRE CURZIO NITOGLIA [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] 26 feb­braio 2009 http://www.doncurzionitoglia.com/SedevacantismoMitigato.htm 1) Sede­va­can­tismo mit­i­ga­do 1º) Segun­do P. Guérard des Lau­ri­ers,  uma vez que o novo rito da con­sagração epis­co­pal é duvi­doso,  se fos­se eleito Papa um sujeito con­sagra­do com o novo rito, não seria val­i­da­mente Bis­po e então não pode­ria ser nem sequer Papa (ou […]

14/06/2015

P. CURZIO NITOGLIA: UMA HIPÓTESE DE VELLETRI


Teologia

Em questões teológ­i­cas difí­ceis e não definidas, deve se dar o próprio pare­cer com humil­dade e paz, con­for­man­do-se a instrução e a capaci­dade do ouvinte, insistin­do mais na práti­ca da Igre­ja, exor­tan­do a seguir o bom cos­tume; ao invés de deixar-se envolver na con­tro­vér­sia para a qual não existe con­clusão cer­ta e que são em segui­da perigosas para quem as expli­ca [abu­so de poder, orgul­ho espir­i­tu­al e int­elec­tu­al] e para quem escu­ta [se não existe capaci­dade e preparação para com­preen­der e colo­car em práti­ca cor­re­ta­mente]. (S. Iná­cio de Loy­ola, Obras Com­ple­tas, Madrid, Barc., 1992, pg 289–290)”.

14/06/2015