PADRE CURZIO NITOGLIA: A IGREJA CATÓLICA NA DOUTRINA DE SANTO AGOSTINHO

Apologética, Atualidades, Teologia

Padre Curzio Nitoglia [Tradução:Gederson Fal­cometa] Pról­o­go Mon­sen­hor Brunero Gher­ar­di­ni pub­li­cou o seu mais recente tra­bal­ho: Católi­ca. Con­tornos da ecle­si­olo­gia agos­tini­ana (Tori­no, Lin­dau, 2011) [1]. Onde reas­sume a sua ativi­dade seja de pro­fes­sor de ecle­si­olo­gia na Lat­er­a­nense em 1968, seja de Autor de estu­dos recentes [2] sobre o prob­le­ma espin­hoso da relação entre Tradição e Con­cílio […]

Continue Reading

UM SACERDOTE DE JOELHOS ENTRE OSGILETS-JAUNES


Atualidades

Uma imagem que não tem neces­si­dade de comen­tários e rep­re­sen­ta todos os sac­er­dotes e reli­giosos, os home­ns e as mul­heres de boa von­tade que nestes tem­pos tremen­dos con­tin­u­am a rezar pela Itália, pela França, pela Europa e pelo mun­do… … Mas vós, o sac­er­dotes, porque não cor­reis a chorar entre o vestíbu­lo e o altar, […]

10/12/2018

LORENZO FONTANA, MINISTRO ITALIANO: “SÃO 300 MILHÕES DE CRISTÃOS PERSEGUIDOS NO MUNDO”. E NÓS ACOLHEMOS OS SEUS CARNÍFICES


Atualidades

A denun­cia do Min­istro da Família Ital­iano Loren­zo Fontana: “São 300 mil­hões de cristãos persegui­dos no mun­do”. E o Oci­dente em declínio, a Europa e a Itália…

10/12/2018

P. CURZIO NITOGLIA: A DEMOCRACIA CRISTÃ E O MODERNISMO


Política

Dário Com­pos­ta escreve: “O mod­e­lo ide­al “DC” se pode definir […] como políti­ca pro­gres­sista e aconfessional”[1]. Essa é um par­tido de cen­tro que olha à esquer­da, como dizia Alcide de Gasperi. Don Com­pos­ta dis­tingue três tipos de católi­cos:

08/12/2018

P. GUIDO MATTIUSSI, S.J.: DOGMAS MUTÁVEIS


Política

Virá o dia que um Con­cílio adap­tará a religião aos novos tem­pos, expondo‑a segun­do as idéias ago­ra aceitadas, como o Con­cílio de Tren­to por sua vez a expôs segun­do as idéias escolás­ti­cas. Assim muitos dizem, e mais despu­do­rada­mente que out­ros, Loisy“.

08/12/2018

[TOLKIENIANA] BOROMIR, O PECADOR RESGATADO


Literatura

Entre todos os per­son­agens da Com­pan­hia que se ofer­e­cem para acom­pan­har Fro­do nas suas mis­sões “reden­toras”, Boromir é, a meu ver, o mais “humano”. Não por aca­so é o úni­co ver­dadeiro rep­re­sen­tante do mun­do dos home­ns. Não o mes­mo para Aragorn que está, em cer­to sen­ti­do, aci­ma do homem, é mais que um homem. Mas deix­e­mos o dis­cur­so sobre o Herdeiro de Isil­dur para uma próx­i­ma tratação, mel­hor nos dedi­car­mos ao “homem” Boromir.

01/12/2018

AUGUSTO DEL NOCE: AS ORIGENS DO CONCEITO DE IDEOLOGIA


Filosofia

A sen­ten­tia com­mu­nis é esta mes­mo: o ter­mo ide­olo­gia foi intro­duzi­do pelo menor filó­so­fo Destutt de Tra­cy, mas nele a respeito do prob­le­ma psi­co-gnose­ológi­co da origem das idéias; um prob­le­ma que parece aparente­mente muito dis­tante dos soci­ais e políti­cos. Este ter­mo chegou então a Marx, e então tomou o sen­ti­do que dura até os nos­sos dias.

01/12/2018

P. LUIGI TAPARELLI D’AZEGLIO, S.J.: O SIM E O NÃO NO REINO DA OPINIÃO


No category

«Toca a ver­dade das coisas con­for­mar-se a opinião dos home­ns ou a opinião dos home­ns deve con­for­mar-se com a ver­dade das coisas»? Se a opinião pudesse trans­for­mar as coisas, a dúvi­da pode­ria ser razoáv­el. Mas o ser das coisas é inde­pen­dente do nos­so pen­sa­men­to. Opinou-se por sécu­los segun­do o sis­tema ptolo­maico, em segui­da segun­do o coper­ni­cano, nem por isso mudaram os astros o seu cur­so. Então, a opinião não é a rain­ha do mun­do.

25/11/2018

MATRIMÔNIO, AMOR E CARIDADE: CONSELHOS AOS NAMORADOS


Espiritualidade, Política, Psicologia, Sociologia, Teologia

Padre Curzio Nitoglia Tradução: Ged­er­son Fal­cometa ·         Depois de ter vis­to o que é a ver­dadeira Cari­dade sobre­nat­ur­al e tê-la dis­tin­ta antes de tudo do amor nat­ur­al (que é bom mas imper­feito) e sobre­tu­do do ero­tismo freudi­ano, que hoje inva­diu todas as coisas, que é puro egoís­mo, amor próprio, e é a morte do ver­dadeiro […]

13/11/2018

PADRE CURZIO NITOGLIA: A IGREJA CATÓLICA NA DOUTRINA DE SANTO AGOSTINHO


Apologética, Atualidades, Teologia

Padre Curzio Nitoglia [Tradução:Gederson Fal­cometa] Pról­o­go Mon­sen­hor Brunero Gher­ar­di­ni pub­li­cou o seu mais recente tra­bal­ho: Católi­ca. Con­tornos da ecle­si­olo­gia agos­tini­ana (Tori­no, Lin­dau, 2011) [1]. Onde reas­sume a sua ativi­dade seja de pro­fes­sor de ecle­si­olo­gia na Lat­er­a­nense em 1968, seja de Autor de estu­dos recentes [2] sobre o prob­le­ma espin­hoso da relação entre Tradição e Con­cílio […]

19/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: VACANTE SIM, IGREJA VACANTE, NÃO


Atualidades, Teologia

Os canon­istas e os teól­o­gos definem, e então dis­tinguem, o perío­do de Vacân­cia da Sé Apos­tóli­ca, que vai da morte de um Papa a eleição do próx­i­mo, da fal­ta de Autori­dade ou de Hier­ar­quia na Igre­ja (“Sede­va­can­tismo” mit­i­ga­do ou abso­lu­to).

Durante o Con­clave os Cardeais não emanam novas Leis, mas não devem faz­er diminuir os dire­itos da Sé Apos­tóli­ca, vigian­do para man­ter em vida aque­les exis­tentes (cfr. São Pio X, Vacante Sede Apos­toli­ca, 25 de dezem­bro de 1904; Pio XI, Quae divini­tus, 26 mar­zo 1925; Pio XII, Vacan­tis Apos­toli­cae Sedis, 8 de dezem­bro de 1945).

16/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: O MELHORAMENTO DO CARÁTER E DO TEMPERAMENTO


Psicologia

  Padre Curzio Nitoglia [Tradução: Ged­er­son Fal­cometa] O CARÁTER   Natureza do caráter O caráter é o modo de ser habit­u­al de um homem, que o dis­tingue dos out­ros e lhe dá uma per­son­al­i­dade int­elec­tu­al, moral, e psi­cológ­i­ca pro­pri­a­mente sua. O caráter é dis­tin­to do tem­pera­men­to. Na real­i­dade o caráter indi­ca as dis­posições int­elec­tu­ais, morais, […]

13/08/2018

FRANCESCO LAMENDOLA: O PESSIMISMOCRISTÃO


História

A con­cepção cristã da vida é pes­simista? Francesco Lamen­dola Acad­e­mia Nova Italia Tradução: Ged­er­son Fal­cometa Nen­hu­ma civ­i­liza­ção cul­tivou em si mes­ma os baci­los da con­fusão, da angús­tia, da deses­per­ação, quan­to a civ­i­liza­ção mod­er­na; nen­hu­ma, porém, detestou e repu­diou com a mes­ma acri­mo­nia, qual­quer um que lev­an­tasse a mín­i­ma reser­va sobre a bon­dade, a excelên­cia, sobre […]

10/08/2018

P. CURZIO NITOGLIA: ROMA PAGÃ E ROMA CRISTÃ, SEGUNDO O CARDEAL OTTAVIANI


Direito, História, Política

O Cardeal ALFREDO OTTAVIANI († 1979) deu uma con­fer­ên­cia em Roma nos anos Trin­ta, através do Insti­tu­to de Estu­dos Romanos, que cer­ca de dez anos depois se expandiu chegan­do as pren­sas sob o títu­lo “Luz da Roma cristã no Dire­ito” (Cit­tà del Vat­i­cano, Tipografia Poliglota Vat­i­cana, 1943).

10/08/2018

ORESTE SARTORE: SOBRE ALGUMAS TESES DA NOUVELLE THÈOLOGIE, POSSÍVEIS VETORES DE UMA RELIGIOSIDADE ALTERNATIVAPARTE 1


Teologia

A segun­da onda do mod­ernismo, ape­sar de ter apare­ci­do cober­ta por uma instân­cia com­par­til­háv­el, que é a redescober­ta das fontes escrit­u­rais e patrís­ti­cas, não con­seguiu evi­tar as cen­suras da Igre­ja Católi­ca dirigi­da por Pio XII.

09/08/2018

GIOVANNINO GUARESCHI: SOU UM REACIONÀRIO


Política

Gio­van­ni­no Guareschi foi um homem de fortes paixões, e entre elas cer­ta­mente se encon­tra­va a políti­ca. Um empen­ho que se desen­volveu sobre­tu­do depois da trág­i­ca exper­iên­cia no cam­po de con­cen­tração nazista. O Guareschi de antes da guer­ra foi um homem muito difer­ente, que, como muitís­si­mos ital­ianos, tin­ha con­segui­do viv­er e tra­bal­har sem nec­es­sari­a­mente esposar as teses do Regime.

24/06/2018

P. CURZIO NITOGLIA: O DEVER DE PAGAR AS TAXAS JUSTAS


Política

O cristão não deve retro­ced­er, faz­er o papel de mod­er­a­do, do peren­e­mente con­de­na­do a per­plex­i­dade, a abstenção e a impotên­cia, deixan­do assim prati­ca­mente as filas do movi­men­to da história nas mãos daque­les que são menos dota­dos de escrúpu­los; o cristão, então, não deve recusar de usar a força jus­ta, quan­do for necessário de modo abso­lu­to” R. Piz­zorni

27/05/2018

P. CURZIO NITOGLIA: CARIDADE E JUSTIÇA SOCIAL COMO FUNDAMENTO DA POLÍTICA


Política, Sociologia, Teologia

Para o ‘bom gov­er­no’, que é a ver­dadeira vir­tude de ‘prudên­cia social’ ou seja, a políti­ca no sen­ti­do clás­si­co do ter­mo, é pre­ciso sobre­tu­do duas vir­tudes além da prudên­cia: a justiça e o amor nat­ur­al e sobre­nat­ur­al, que são sub­stan­cial­mente diver­sas da egal­itè et fra­ter­nitè da mod­ernidade. Aqui o estu­dare­mos pela óti­ca social e não estri­ta­mente indi­vid­ual, porque nos ocu­pamos da filosofia políti­ca ou social, que estu­da a vida em comum ou em sociedade dos indi­ví­du­os home­ns, os quais se unem antes em uma família e depois em mais famílias, as quais for­mam uma sociedade ou polis (=cidade) e mais cidades for­man­do enfim um Esta­do.

17/12/2017

P. CARTECHINI, S.J.: CRITÉRIOS PARA RECONHECER AS VERDADES DOGMÁTICAS


Teologia

Antes de expor este critério, que é a via mais comum para deter­mi­nar a ver­dade de fé católi­ca, é pre­ciso faz­er algu­mas obser­vações impor­tantes.

Para que as decisões de um Con­cílio ten­ham val­or dog­máti­co, o Con­cílio deve ser ecumêni­co e legí­ti­mo, ape­nas em tal caso ele goza do caris­ma da infal­i­bil­i­dade. De fato, Jesus Cristo prom­e­teu a infal­i­bil­i­dade a Igre­ja uni­ver­sal e não as sin­gu­lares igre­jas par­tic­u­lares. Os Con­cílios par­tic­u­lares não são infalíveis: porém as suas decisões podem adquirir um val­or uni­ver­sal e defin­i­ti­vo, se em segui­da inter­vém a aprovação do romano pon­tí­fice. Assim, ocor­reu com o Con­cílio Con­tan­ti­nop­o­li­tano Iº  (em 381: D. 85), para o Cartag­inês con­tra os pela­gianos (em 418: D. 101 ss.), o Arau­si­cano con­tra os semi­pela­gianos (em Orange 529: D. 174 ss.). A autori­dade, por­tan­to, destes Con­cílios, se bem que em origem par­tic­u­lares, de fato é como aque­la dos Con­cílios ecumêni­cos.

03/12/2017

[TOLKENIANA] ÉOWYN: UMA MULHER COMO DEUS ORDENA


Literatura

Não por aca­so os poet­as de todos os tem­pos requer­eram o socor­ro de uma «Musa» (a par­tir da qual a «músi­ca»), espe­cial­mente para can­tar as vir­tudes e as graças de uma criatu­ra como a mul­her que, se inten­ta e se recol­he na piedade e a cari­dade, pode tornar sinal predile­to de coisas celestes.

03/12/2017

O VENERÁVEL BARTOLOMEU HOLZHAUSER (1613–1658) OU A RESTAURAÇÃO DA REALEZA SOCIAL DE N.S. JESUS CRISTO


Teologia

O tex­to deste arti­go é a apre­sen­tação de Nico­la Dino Cava­di­ni a sua tradução para o ital­iano da obra de Bar­tolomeu Holzhauser “Inter­pre­ta­tio in Apoc­a­lypsin”. A obra foi pub­li­ca­da pela primeira vez em Bam­ber­ga em 1784 e foi con­sid­er­a­da por alguns o mel­hor pro­du­to daque­la cor­rente exegéti­ca que vê no Apoc­alipse de S. João a nar­ração sim­bóli­ca da história da Igre­ja”. Holzhauser, sin­gu­lar­mente dota­do do dom da pro­fe­cia, deu mão ao comen­tário depois de 1649 enquan­to se encon­tra­va no Tirol, “em con­tin­ua oração por dias inteiros, pri­va­do de comi­da e bebi­da” e “sep­a­ra­do de todo con­sór­cio humano”.

26/11/2017